Telefone: (48) 3244-1901

A HISTÓRIA DA TRIUMPH
by on janeiro 9, 2018 4:21 PM in Blog

Andar de moto é uma filosofia, um estilo de vida e, para muitos uma terapia. E a Triumph há mais de cem anos vem trazendo alegria para muitos riders por aí, escrevendo belas histórias e levando motocicletas cada vez mais longe.

E por falar em história, você sabe quando que a Triumph começou? Pois é este o tema da nossa matéria hoje, fique por dentro de nossa trajetória! 😉

No ano de 1902 a primeira motocicleta Triumph foi produzida em Coventry, no Reino Unido. Com um motor Minerva de 2.2 cv ela ficou conhecida como “a Nº 1”. Em 1907 um novo motor com 3.5 cv é desenvolvido e a produção anual atinge 1.000 unidades, tendo a fábrica transferida para Priory Street, também em Coventry.

Em 1915 a Triumph é escolhida para fornecer o modelo Tye H “Trusty” às tropas aliadas na 1ª Grande Guerra Mundial. Das 57.000 motocicletas produzidas, 30.000 possuem 499 cc com refrigeração a ar e um cilindro, sendo as primeiras a terem esta tecnologia.

1927 foi o ano em que a fábrica de Coventry aumentou o tamanho para 500.000m², com 3.000 funcionários e uma produção anual de 30.000 unidades. Já em 1936 as produções de carros e motos Triumph foram separadas e Edward Turner foi indicado como chefe do setor de design.

Turner em 1937 apresentou um motor de 498 cc de dois cilindros, o Speed Twin (T100), que atinge uma velocidade de 144,84 km/h. O modelo inovador se estabeleceu como um padrão para as motocicletas Triumph nos 40 anos posteriores.

Mais de 50.000 motocicletas foram vendidas para as tropas militares, entre 1940 e 1945. A fábrica de Priory Street é bombardeada em 14 de novembro de 1940 e foram feitas instalações temporárias em Warwick até que uma nova fábrica fosse inaugurada em Meriden no ano de 1942.

Em 1946 com o retorno da paz, a Triumph dá continuidade à sua produção com foco em três modelos: a Tiger T100 (que teve sua primeira vitória nas pistas em 1946, no Manx Grand Prix, pilotada por Eric Lyons), a Speed Twin e uma pequena “touring” de 349 cc e 3T. Todos os modelos saem de fábrica com braço telescópio no garfo dianteiro.

Chegou aos telões no ano de 1954, no filme “O Selvagem” onde o ator Marlon Brando pilotava uma Thunderbird 6T de 650 cc.

Pilotando uma Thunderbird com motor de 650 cc, em 1955, Johnny Allen atinge 310,60 km/h em Bonneville Salt Flats. E o início era notável de desempenho para a marca, durante a qual a Triumph deteve por 15 anos consecutivos o recorde de velocidade em terra.

Foi no ano de 1959 que nasceu o ícone Bonneville (T120 com 650 cc), o nome foi dado em homenagem ao local onde a Triumph conquistou seu recorde de velocidade. Bonneville se tornou então a motocicleta de dois cilindros mais vendida na Inglaterra.

1963, a Trophy TR6 650 é pilotada pelo famoso ator Steve McQueen, que pulou e caiu sobre Bud Ekins no filme “Fugindo do Inferno”.

Buddy Elmore, em 1966, venceu a corrida Daytona 200 com uma Tiger 500 cc preparada especialmente pela Triumph. O protótipo Gyronaul X-1, com um motor Triumph de 650 cc, bate o recorde de velocidade em Bonneville Salt Flats com 395,25 km/h.

No ano de 1967, Gary Nixon prova que a vitória na Daytona 200 no ano anterior não foi mero acaso e repete o feito a bordo de um Tiger 100. Além disso, o sucesso nas corridas é apreciado por John Hartle. As Triumphs também passam a ser vendidas nos Estados Unidos. Já em 1968 a 750 cc de três cilindros finalmente é lançada, com motor comprado da Trident, o BSZ Rocket 3. Even Knieval tenta saltar a fonte do Caesar´s Palace Casino, em Las Vegas, com uma Bonneville.

Malcom Uphill venceu o circuito Isle of Man – TT com a novata Bonneville, em 1969. Pela primeira vez é feita uma motocicleta que atinge mais de 160,93 km/h. A produção em Meriden chega a 46.800 unidades. No ano de 1970, Uphill bate outro recorde no circuito Isle of Man – TT e, em consequência desse feito, recebe o apelido de Slippery Sam.

Em 1975, a produção da Bonneville continua após os trabalhadores formarem uma cooperativa para manter a fábrica de Meriden em funcionamento.

A fábrica de Meriden fechou as portas em 1983. John Bloor adquire o nome da Triumph. A licença para produzir em menor número o modelo Bonneville fica com Les Harris, em Devon, no sudoeste da Inglaterra.

Já em 1987 o primeiro “novo” motor da Triumph, com 1.200 cc e quatro cilindros, começa a ser testado.

O grande retorno da Triumph aconteceu em 1990. Seis novos modelos são anunciados no Salão de Colônia (Alemanha): a incomparável Tridente 750 e 900 de três cilindros; a Touring Trophy de três cilindros e 1.200 cc de quatro cilindros; e a esportiva Daytona 750 de três cilindros e 1.000 cc de quatro cilindros.

O jogo mudou em 1994 com o lançamento da Speed Triple e assegura o retorno da Triumph ao segmento esportivo, inaugurando o “Speed Triple Challenge Race”. O retorno aos Estados Unidos acontece com a introdução de uma nova subsidiária, a Triumph Motorcycles América. É concedida a permissão para início do projeto da nova fábrica em Hinckley, com mais de 161.000 m2.

Uma década depois do renascimento da Triumph (2000), o modelo Bonneville volta a fazer parte da linha de motocicletas. Feito não somente para os motociclistas mais clássicos, ganha espaço entre aqueles que apreciam a modernidade e a garantia de uma boa pilotagem com um motor de dois cilindros paralelos.

Em 2002 um grande incêndio destrói a planta de montagem da fábrica nº1, a qual é reconstruída e reformada em menos de seis meses. A superesportiva Daytona 600 é apresentada e obtém uma magnífica vitória no circuito Isle of Man – TT, em 2003, nas mãos de Bruce Anstey.

No ano de 2004 a Triumph Rocket III passa a integrar a linha de motocicletas, com detalhes do motor de três cilindros simplesmente surpreendentes: 2.294 cc e 147 Nm de torque a 2.500 rpm. Desde o seu lançamento, continua sendo a maior motocicleta em produção em série no mundo.

Com tudo novo, em 2006, a Daytona 675 Triple é lançada e vence por quatro anos consecutivos o super teste “King of Supersports”. Com a fábrica 4 na Tailândia em funcionamento, o volume de produção aumenta para 41.974 unidades.

Em 2007 com a Street Triple, uma linha que une estilo e diversão com o poder e maneabilidade da Daytona 675, instantaneamente cria-se um novo segmento no mercado de motocicletas.

A Triumph tem a primeira experiência na linha “R” com o lançamento da Street Triple R, no ano de 2009. Seus freios de alto desempenho e o pacote de suspensões são líderes na categoria.

A fábrica da Triumph em Hinckley lançou em 2010 a primeira motocicleta com sistema de transmissão de potência por correia de 1.600 cc, com dois cilindros paralelos. Esse lançamento faz com que a reputação da marca seja reconhecida definitivamente no segmento cruiser. A revista US Cycle World a intitula como a “Cruiser do Ano”.

Em 2011 foram lançadas a Tiger 800 e a 800XC, a Speed Triple, a Daytona R, a America, a Speedmaster e a Thunderbird Storm. O maior número de lançamentos em um ano desde o início de suas atividades.

Em 2012, os 110 anos de fabricação de motocicletas são comemorados com uma série de novos lançamentos, a exemplo da Tiger Explorer, modelo de 1.215 cc com eixo cardã que impressiona o mercado adventure. O mesmo motor é utilizado na nova Trophy. Para completar um ano agitado, modificações importantes foram aplicadas nas plataformas de 675 cc da Street Triple e da Daytona.

O Market share da Triumph atingiu 6,2% no segmento acima de 500 cc, em 2013, e o plano de expansão continua forte com a entrada na India.

Hoje a marca britânica é dada como uma das mais tradicionais do mundo duas rodas, tendo atividade em vários países, como Estados Unidos, Itália, Alemanha, Inglaterra, Holanda, Japão e outros.

E você tá esperando o que para fazer parte desta história?

2014 JamSession © All rights reserved.